loader image

Brasileiros deixam de sacar R$ 7,97 bi de valores esquecidos

Até o final de janeiro, os cidadãos brasileiros ainda não haviam recuperado cerca de R$ 7,97 bilhões em fundos não reclamados dentro do sistema financeiro, conforme anunciado pelo Banco Central (BC). Desde a reativação do Sistema de Valores a Receber (SVR), foi restituído um montante de R$ 5,99 bilhões dos R$ 13,33 bilhões disponibilizados pelas entidades financeiras para tal fim.

Resumo estatístico do Sistema de Valores a Receber até janeiro

A divulgação das estatísticas do SVR ocorre com um atraso de dois meses. Até o término de janeiro, 18.513.533 detentores de contas haviam realizado o saque dos valores disponíveis. Isso representa apenas 29,73% dos 62.275.604 beneficiários elegíveis desde o lançamento do programa em fevereiro de 2022.

Distribuição dos valores Esquecidos por faixa de valor

Entre os que já procederam ao resgate, encontram-se 17.564.553 pessoas físicas e 948.980 jurídicas. Ainda precisam fazer o resgate 40.613.723 pessoas físicas e 3.148.348 jurídicas. Nota-se que a maior parcela dos beneficiários aguarda por valores modestos, com 63,47% deles tendo direito a até R$ 10. Valores entre R$ 10,01 e R$ 100 representam 25,15% dos casos, enquanto 9,63% abrangem quantias entre R$ 100,01 e R$ 1 mil. Apenas uma minoria de 1,75% tem valores acima de R$ 1 mil a receber.

Fase atual do Sistema de Valores a Receber

Após um período inoperante de quase um ano, o SVR foi relançado em março de 2023, incorporando novos recursos, um sistema de agendamento atualizado e a opção de resgate para herdeiros de falecidos. Em janeiro, foram sacados R$ 243 milhões, um incremento em relação aos R$ 193 milhões do mês anterior.

Ampliação das fontes de recursos disponíveis para resgate

A fase atual introduziu melhorias significativas, como a possibilidade de imprimir telas e protocolos de solicitação para compartilhamento via Whatsapp e a implementação de uma sala de espera virtual, facilitando o acesso simultâneo de todos os usuários. Também se destacam a consulta para herdeiros de valores pertencentes a pessoas falecidas e maior transparência em contas conjuntas.

Ademais, novas fontes de recursos esquecidos foram adicionadas, ampliando as opções de resgate para incluir contas de pagamento encerradas, contas de registro de corretoras e distribuidoras já encerradas, entre outros. O sistema também manteve a inclusão de valores já disponíveis para saque desde o ano anterior, abrangendo uma variedade de fundos passíveis de devolução.